Publicado por: lobusdaestepe | setembro 11, 2011

Copacabana, Isla del Sol e Estrada da morte- Bolívia

La Paz, é uma cidade de momentos, que melhor que uma câmera  fotográfica, para registrar seria uma filmadora,mas deixe-a preparada antes de chegar, porque esse momento surpreendente não volta mais nem se você voltar um milhão de vezes ao local.

A apenas três horas de vôo de São Paulo, pessoas de olhos puxados e pele queimada pelo sol das altitudes vivem uma cultura desconhecida pela maioria dos turistas, até por brasileiros.

Tem locais que são quase impossíveis descrever, tem que estar lá, sentir, ouvir e olhar com os próprios olhos!

Em La Paz tem Tiwanaku:-

Um importante sítio arqueológico pré-colombiano, sendo um dos  mais importantes precursores do império Inca,  Tiwanaku foi a capital administrativa e religiosa por mais de cinco séculos.


As ruínas da cidade se localizam próximo à margem sudeste do lago Titicaca,  província Ingavi, município Tiwanaku, cerca de 72 km oeste de La Paz.

O conquistador espanhol Pedro Cieza de León deparou-se com os restos de Tiwanaku em 1549 enquanto buscava a capital inca Collasuyu.

O nome pelo qual Tiwanaku era conhecida pelos seus habitantes se perdeu, uma vez que esse povo não deixou linguagem escrita.

Especulam que o nome moderno “Tiwanaku” é relacionado ao termo Aymara , que significa “pedra no meio”, em alusão a crença de que ficaria no centro do mundo.(fonte: wikipédia)

O “deus Sol” instruiu seus filhos para procurarem um local ideal para seu povo.

Manco Capac e Mama Ocllo chegaram, então, a uma ilha – mais tarde batizada de Isla del Sol.

Os filhos do Sol – fundadores do império inca – teriam aparecido e definido os três princípios da raça: não roubar, não mentir e não ser preguiçoso.

A ilha também abriga a Fonte da Eterna Juventude.

De acordo com a crença, quem bebe da água envelhece sem rugas e sem cabelos brancos.

Também às margens do lago pode-se visitar a Imagem de Nossa Senhora de Copacabana,Virgem da Candelária de Copacabana, a santa morena padroeira da Bolívia, na Igreja de mesmo nome.

fonte: bestday

Esta enorme igreja branca do século 16, de arquitetura árabe, é a principal atração da cidade e surpreende os visitantes por seu tamanho e beleza.

A última restauração foi em 1983, e, no interior, é possível identificar quatro estilos: arábe, barroco mestiço, neoclássico e renascentista.

O sincretismo religioso também é notável: ao lado de imagens católicas encontram-se desenhos de sóis e luas (divindades incas) e de folhas de coca.

fotne: virgemperegrina

No século XIX uma cópia desta imagem de pele morena  foi levada ao Rio de Janeiro no Brasil, onde foi criada uma pequena igreja para a Nossa Senhora de Copacapana, construída por comerciantes espanhóis.

A igreja foi crescendo, e acabou dando o nome ao bairro de Copacabana no Rio de Janeiro.

Na fronteira da Bolívia com o Peru o Titicaca tem 8,3 mil quilômetros quadrados – é o maior lago da América do Sul –, 178 km de comprimento, 69 km de largura e 272 metros de profundidade máxima

Virgens do Sol

Em frente da Ilha do Sol fica a Ilha da Lua, que abriga ruínas pré-incaicas e incas.

No topo da ilha está o Templo das Virgens do Sol.

Lá, as virgens ficavam enclausuradas até o casamento.

O pretendente fazia uma espécie de estágio antes do matrimônio e, se não gostasse, podia devolver a moça.

Geralmente, as rejeitadas acabavam malvistas pelo povoado e não saíam mais do templo.

Durante todo o dia, barcos com turistas cruzam as águas para levá-los aos templos da região.

O sol é radiante, mas a temperatura média durante o dia fica em torno dos 16º C.

Por isso, não  espere  usar  biquíni, nem querer praticar  futebol de areia nesta Copacabana.

Lá haverá apenas índios e turistas, na maioria europeus.

Esta Copacabana fica na Bolívia, a 156 quilômetros de La Paz, e significa “mirador do lago azul”.

Às margens do Lago Titicaca, a cidade é uma península que abrigou as civilizações pré-incaicas dos chiripas e tiwanacus, além dos incas.

Mitos e lendas, aliás, estão espalhados por toda a Bolívia, principalmente na região do Titicaca.

No lago, os nativos acreditam que esteja submersa a cidade perdida de Atlântida, comparando a região ao cenário descrito por Platão.

Em 1967, o pesquisador Jacques Cousteau fez uma expedição para tentar encontrar sinais da civilização, mas só achou por lá rãs gigantes, de 50 centímetros, hoje vendidas nos restaurantes do país.(fonte: ww.terra.com.br)

Na Ilha do Sol, os moradores acreditam que é dali que os mortos passam para a outra vida.

Aos estrangeiros todas essas histórias soam estranhas, mas os bolivianos são assim. Cultuam deuses, fazem oferendas e mantêm tradições.

Coroico é um povoado situado a uns 100 km de La Paz e é  uns dos principais destinos turísticos  de La Paz.

Seu povo é formado por aymaras, afro-bolivianos( um dos poucos lugares da Bolívia onde existe  afro-descendentes), mestiços  e estrangeiro.

Coroico tem aproximadamente 2000 habitantes.

Além da beleza do lugar , o que atrai os turistas e esportistada  é um  down hill de bike fantástico de La paz a Coroico .

São 90km somente de descida, metade asfalto e metade terra.

Segundo o BID – Banco de Desenvolvimto Interamericano, a Rodovia da Morte situada na Bolívia,  é uma descida de 90 Km, aproximadamente 5 horas.

Segundo a reportagem sobre as estradas mais perigosas do Mundo, 100 a 200 pessoas morrem nessa estrada todos os anos. Ou seja, a cada duas semanas, um acidente fatal.

Você sai de 4.700 metros de La Cumbre  e desce até os 1.8200 de altitude  em  Yolosa, em Coroico. .

downhill

Uma van  leva  o pessoal de La Paz até La Cumbre, a 4700m, e de lá começa a descida en “La Carretera Mas Peligrosa del Mundo”, até Coroico, uma cidadezinha linda, a 1820m.

Ir de  ônibus ou caminhões, o risco é bem maior, com esses realmente acontece acidentes, principalmente em época de chuvas.

Há  também uma trilha Inca até a região de Coroico, são 3 dias, e  passa por uns pequenos povoados, em casas de pedra e palha, como os antigos povos da região mesmo, alguns bem parecidos com aqueles que vemos na National Geographic em reportagens sobre o Tibet… uma das razões da Bolívia ser considerada o Tibet Ocidental.(fonte: Mochileiros)


Não há guarda rail e os abismos despencam mais de três mil metros.

A mão é invertida, o que significa descer do lado do abismo, enquanto caminhões sobem pelo lado do barranco.

Há cruzes em quase todas as curvas, marcando lugares onde caminhões e outros veículos despencaram.

Atualmente, tem várias agências , como  a Gravity Assisted Mountain Biking e a altiplano extreme, que  levam os  turistas para  os  downhills ,que antes eram feitos de forma independente.

Tem o de La Cumbre-Coroico, “a estrada mais perigosa do mundo”, e o de Chacaltaya com 40km de descida da “estação de ski mais alta do mundo (5500m)” até La Paz, a 3300mts.

Vão encarar???

Fonte: Relato:- Xênia

http://www.terra.com.br

http://www.lost.art.br

http://www.altiponoextreme

http://www.mochileiros.com

 


About these ads

Responses

  1. AMEI seus posts sobre a Bolívia, só mesmo estando lá para sentir a emoção de tudo aquilo. Quem não conhece ou não tem intenção de conhecer perde a grande oportunidade de entrar em contato com aquela cultura maravilhosa, que me encantou tanto.
    Xênia.

    • Eu que agradeço a oportunidade de postar a viagem de vocês à Bolivia.
      Espero ter captado o seu olhar sobre aquele país.
      Aguardo ansiosa a próxima viagem de vocês:)))


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 52 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: