Publicado por: lobusdaestepe | março 18, 2011

Doces portugueses conventuais

Os doces portugueses  ou “Doces Conventuais”, tem esse nome por  terem “nascido” nos Conventos.

Foto: Gazeta das Caldas

Os Conventos acolhiam as filhas da nobreza e das famílias mais ricas que, além dos seus dotes, traziam consigo hábitos de alimentação e receitas familiares que deram a origem a requintada  doçaria rica e por vezes complicada.

As receitas eram propriedade do convento que as freiras se comprometiam a ocultar toda a vida.
É claro que sempre aconteciam algumas “fugas de informação”, especialmente das preparações mais fáceis e muito provavelmente as menos dispendiosas.

Assim foram entrando nas tradições portuguesas os clássicos da doçaria sazonal: o arroz-doce, o pão-de-ló, a aletria doce , orelhas de abade, baba de camelo, barrigas de freiras, toucinho do céu, Bolo dos Santos e tantos outros, farta de açúcar e ovos.

Pastelaria Alcôa

Durante cerca de 700 anos, este saber foi-se acumulando e evoluindo com novos ingredientes, experiências e a longa prática das monjas que lhes dedicavam intermináveis horas de trabalho, paciência e devoção, desafiando invejas e mascarando o seu inevitável amor-próprio pela obra bem conseguida.

E assim, e graças à investigação de muitos estudiosos que “traduziram” as notas manuscritas de muitos arquivos dos mosteiros, vieram saindo a público e ao domínio de muitas mãos leigas as maravilhas dos doces conventuais.

Todo  final de ano, no mês de novembro, em Alcobaça tem a Mostra de doces conventuais, que são realizados na sala dos monjes do Mosteiro .

Além dos ovos-moles, castanhas de ovos, pão de rala, papos de anjo e pão-de-ló de Alfeizerão, tem o licor de ginja de Alcobaça e o licor de Singeverga – o único ainda fabricado num mosteiro em Portugal.

Aqui vai uma receita  mais fácil, que podemos fazer em casa, chama-se Farófias

Ingredientes:
4 ovos
1 colher (sopa) de suco de limão
12 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de maisena
750 ml de leite
casca de 1 limão
canela em pó à gosto
Modo de Preparo:

Separe as gemas das claras. Reserve as gemas para fazer um creme posteriormente.

Bata as claras, junto com o suco de limão, em neve bem firme.

Quando estiverem firmes, vá acrescentando colherada a colherada de açúcar, sempre com a batedeira ligada.

No final deve ficar bem espesso e seco. Se necessário, acrescente um pouco mais de açúcar.

Coloque em uma panela o leite com a casca do limão para dar sabor.

Deixe quase ferver, e abaixe o fogo em seguida.

Vá colocando colheradas das claras batidas, não muito grandes porque vão inflar conforme cozinharem. Este cozimento é rápido. Vire-as com o auxílio de uma escumadeira.

Quando estiverem cozidas dos dois lados, coloque-as em um escorredor de macarrão.

Assim que as claras acabarem prepare o creme que irá acompanhar as farófias.

Devolva à panela o leite que escorrer das farófias. E na mesma panela onde está o restante do leite onde as farófias foram cozidas, junte as gemas batidas e coloque a maisena já dissolvida em um pouco do leite frio.

Vá mexendo até começar a engrossar. Prove e se achar necessário, acrescente um pouco de açúcar até ficar a seu gosto.

Não esqueça de retirar a casca de limão.

Em uma travessa larga e funda, disponha as farófias, coloque por cima o creme feito com o leite e polvilhe canela em pó à gosto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: