Publicado por: lobusdaestepe | agosto 20, 2011

Porto, cidade dos tripeiros

Porto. visto de Vila Nova de Gaia

Porto é a segunda maior cidade de Portugal e mesmo tendo apenas pouco mais de 300 mil habitantes,  ainda preserva seus ares de cidade provinciana de muitos séculos passados.

As pessoas nascidas em Lisboa recebem o apelido de “Alfacinha”(eles parecem que não gostam muito deste apelido) e os do Porto de “Tripeiros”.

O apelido dos habitantes, tripeiros, data de 1415, quando os moradores do Porto doaram a sua melhor carne para uma frota de navios portugueses que tinha como destino Ceuta, no norte da África e só restou as tripas  para comerem.

As tripas(dobradinha, para nós brasileiros) ainda são uma especialidade da cidade do Porto, mas o prato da vez é francesinha, um sanduíche de carne e queijo, com tempero apimentado.

Sanduiche Francesinha á moda do Porto

Depois do caldo verde, das tripas, da broa e do bacalhau à Gomes de Sá, a francesinha é a única receita gastronômica original portuense do século XX.

A francesinha é feito com pão de forma, fiambre,salsicha, linguiça, carne assada, queijo derretido, molho de tomate picante com piri-piri acompanhado de batatas fritas, hummmmm!


É muito bom, mas só coma se estiver com muuuuuita fome, porque é enorme!

 

Receita de francesinha

A maioria das  atrações  estão concentradas no centro histórico;  podendo  percorrer tudo à pé e quando cansar entre no bus turístico, que possui vários  roteiros,  pagando um só ingresso.

Ficamos no Hotel D. Henrique, perto do mercado do Bolhão. Hotel com quartos enormes, bom café da manhã, ótimo atendimento e possui a cobertura um restaurante-bar com uma vista enorme  da cidade.

Vá á noite e fique encantado com a vista noturna da cidade do Porto.

Deixamos o carro na garagem  e só usamos para irmos embora para o aeroporto.

O transito no Porto é um pouquinho complicado para quem não está acostumado.

Andando, podemos curtir pequenos detalhes que passariam despercebidos se estivéssemos de carro.

Andamos calmamente apreciando  as lojas da rua Santa Catarina e  o histórico Café Majestic.

detalhe no Café Majestic

Os cafés, dos mais antigos e bonitos da cidade, são o Café Majestic na Rua Santa Catarina e o Guarani na Avenida dos Aliados.

O edifício, assinado por João Queirós, foi restaurado há treze anos e o estilo Art Noveau  com  espelhos, forro em gesso decorado, esculturas em estuque representando rostos humanos, figuras desnudas,  mármore e madeira, torna o ambiente luxuoso e aconchegante ao mesmo tempo.

O chocolate quente lá é uma delícia, super cremoso.

Aguá Pé na Cova- piada pronta, aqui no Brasil não venderia nunca....

No  Café Guarani, ás sexta e sábado à noite, tem apresentação de fados e outro tipos de música portuguesa.

Tudo bem ,  subir e descer as  ladeiras que levam à colorida Ribeira, ou subir todos os 240 degraus da Torre dos Clérigos na  Rua São Filipe Nery,(  fecha  ás sextas-feiras), uma torre do século 18 projetada pelo arquiteto italiano Nicolau Nassoni, não fizeram parte do nosso roteiro.

Usamos  o passeio de bonde apreciando a arquitetura fenomenal, e o bus turístico sightseeing para ver à Casa da Música,o modernoso bairro de Boavista, o mercado do Bolhão, a Sé, etc.


No bairro de Miragaia, região pobre mas bonita,  as casas foram construídas em palafitas por causa das inundações frequentes, por isso os arcos no pavimento térreo.

Seguindo em frente da para ver de longe a Muralha Fernandina de onde dá para ver todo o Rio Douro e a Ponte D. Luis I.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: