Publicado por: lobusdaestepe | março 2, 2019

Estranho para os brasileiros, mas normal em outro países

Tem certas coisas que, para nós, seriam estranhas, mas são normais em outros países.

Cada país tem suas próprias leis, tradições, regras e características que podem parecer muito estranhas e até chocantes para pessoas de outras culturas. Você sabia que na Índia algumas mulheres se casam com uma árvore, e não porque a natureza as enlouquece? Ou que na Coreia um recém-nascido pode ter dois anos de idade e que na Austrália, assim como no Brasil, uma pessoa que não se apresenta para votar é multada?

16. Na Índia, algumas mulheres se casam com uma árvore

Resultado de imagem para india casamento com arvore

A razão para essa estranha tradição reside no horóscopo védico, segundo o qual as pessoas chamadas de manglik estão sob forte influência do planeta Marte e não estão aptas para um casamento feliz. Para elas, até se criam seções especiais em alguns sites de namoro, já que acredita-se que um manglik é capaz de neutralizar a influência do outro.

Mas as mulheres manglik têm ainda mais dificuldades, porque na Índia acredita-se que uma esposa com um Marte perigoso no horóscopo pode afetar negativamente a saúde de seu marido. Portanto, essas mulheres devem primeiro “casar” com uma árvore, para que a “maldição de Marte” seja passada para ela (a árvore é então cortada e queimada), e só depois ela poderá cruzar seu destino com o de um homem.

Curiosamente, os homens manglik não precisam realizar nenhum ritual. Aparentemente, os indianos acreditam que somente a esposa pode influenciar a saúde e o destino do cônjuge, ou que o bem-estar de uma mulher no casamento é muito menos relevante.

15. Na aldeia de Sunda, na Indonésia, às vezes se usam folhas de bananeira em vez de pratos

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e comida

Existem tradições similares em outros países quentes, mas em algumas partes da Indonésia a folha de bananeira serve como uma espécie de prato não para uma única pessoa, como ocorre na Índia, mas para várias ao mesmo tempo. Este tipo de ritual é chamado “botram”.

Ao mesmo tempo, muitos podem comer de uma única folha: um taxista, um governador, um desempregado, um professor, o prefeito da cidade; enfim, qualquer pessoa. Acredita-se que o botram une todas as pessoas, independentemente de sua origem. Os talheres não são usados durante esta refeição: os alimentos podem ser pegos diretamente com a mão.

14. No Nepal, há um culto à deusa viva, Kumari, cujo papel é desempenhado por menininhas

No Nepal, acredita-se que a deusa hindu Taleju tem uma encarnação terrena: meninas, a cujos corpos ela se transporta periodicamente. O processo de busca pela Kumari é semelhante à que ocorre pelas novas encarnações do Dalai Lama: é um trabalho de monges e astrólogos. A menina Kumari é procurada no âmbito da casta Sakia, da comunidade de Newar.

Existem várias Kumari no país, mas a mais famosa delas é a Kumari Real, que vive em Katmandu. A escolha da Kumari envolve passar por rituais estritos, após os quais a menina escolhida é instalada em um palácio, onde recebe visitantes que, trazendo presentes, esperam que a deusa viva lhes conceda cura e a solução de seus problemas.

13. Em Israel, os fiéis constroem tendas sukkah, onde vivem durante o festival de Sukkot

16 Coisas que, para nós, seriam estranhas, mas são normais em outros países

Antes do festival de Sukkot, nas famílias judias costuma-se construir uma habitação temporária, a sukkah, num pátio, numa varanda ou num terraço, em comemoração às peregrinações judaicas pelo deserto do Sinai. Fazer isso é considerado um dever sagrado. Durante a semana festiva, deve-se passar na sukkah o maior tempo possível: comer, descansar e orar nela. Se não houver chance de morar lá, pelo menos deve-se comer ali duas vezes ao dia.

12. Na Coreia do Sul, um recém-nascido tem imediatamente um ano de vida

Na Coreia do Sul e em outros países asiáticos, um recém-nascido é considerado com 1 ano de idade. Além disso, supõe-se que uma pessoa se torna um ano mais velha não no dia do seu nascimento (embora também seja comemorado), mas no primeiro dia do Ano novo lunar.

Portanto, se a criança nasceu no 29º dia do 12º mês do calendário lunar, no primeiro dia do Ano Novo lunar já terá 2 anos de idade, embora na realidade tenha apenas alguns dias de vida.

O calendário gregoriano moderno e a quantidade de anos contados desde o nascimento também são usados na Coreia: esses dados são indicados ao preencher os documentos, e é por eles que se determina a idade de iniciar a escola, o recrutamento do exército e a idade mínima para casar.

11. Na China, o metrô passa através de um prédio residencial

Na cidade chinesa de Chongqing, você pode ver uma solução arquitetônica muito incomum: a estação de metrô Liziba, que foi construída dentro de um edifício residencial. Trens passam através do prédio no nível do sexto andar, causando reações completamente diferentes, que variam de admiração a indignação. Uma solução semelhante também foi implementada no Japão, mas lá o prédio não é residencial, e sim de escritórios, e o que passa é uma rodovia, não uma linha de metrô.

10. Nas Filipinas e Arábia  Saudita restaurantes de fast food vendem porções gigantes

Resultado de imagem para FAST FOOD  TAMANHO FAMILIA

Não é sobre a gula dos habitantes das Filipinas, mas sobre o fato de que muitas pessoas aqui gostam de jantar com os amigos. Para esses grupos, existe até um termo especial: “barkada”. Portanto, não se surpreenda se você vir uma porção de batatas fritas para seis pessoas no cardápio do McDonald’s nas Filipinas.

Aliás, algo semelhante também existe na Arábia Saudita, onde os estabelecimentos gastronômicos são orientados para famílias numerosas. Por exemplo, no KFC desse país você pode comprar um balde de asas de frango para uma família de 10 ou 15 pessoas.

9. No Paquistão, uma família inteira pode caber em uma única motocicleta

Imagem relacionada

Uma solução que é questionável em termos de segurança e conforto, mas, infelizmente, é bastante comum no Paquistão e em outros países da região. Essas fotos muitas vezes se tornam um objeto de ridicularização na Internet, mas deveriam nos fazer refletir. A pobreza às vezes leva as pessoas a fazer coisas muito estranhas, mas parece que elas simplesmente não têm outra escolha.

8. No Egito, há uma ideia peculiar das regras de trânsito

No Egito, você pode dirigir como quiser; é bem improvável que tirem sua licença. Naturalmente, esse modo de condução gera engarrafamentos, acidentes e muitos perigos para pedestres. As regulamentações de trânsito do Egito são as mesmas que na maioria dos outros países, mas, na prática, a polícia monitora tudo, menos seu cumprimento.

7. Na Itália, são organizadas batalhas de laranjas

Todos os anos, em fevereiro ou no início de março, acontece o Carnaval de Ivrea (Carnevale d’Ivrea) na Itália, com sua tradicional batalha de laranjas. As pessoas jogam as frutas como se fossem bolas de neve. Mas por que laranjas?

Segundo alguns historiadores, esta batalha é um símbolo de revolta popular contra déspotas, mas há uma versão mais bonita sobre a jovem Violetta, que lutou contra um tirano local que tinha a intenção de forçá-la a consumar a noite de núpcias. Os guardas tentaram prender Violetta, mas o povo da cidade a defendeu, atirando pedras neles — e agora as pedras são simbolizadas pelas laranjas.

E apesar do fato de que esta tradição tem muitos opositores (o que não é surpreendente, já que nos três dias de carnaval a cidade usa cerca de 350 toneladas de laranjas), o número de participantes do festival aumenta a cada ano.

6. No Reino Unido, uma licença de TV deve ser adquirida separadamente para cada televisão da casa.

A BBC é uma televisão pública e financiada com os direitos de licença dos cidadãos, que não só têm televisões, mas também outros dispositivos com os quais você pode assistir transmissões ao vivo: computadores, notebooks, smartphones, tablets e até mesmo consoles de videogames.

Uma licença como essa custará 145,50 libras esterlinas por ano, e você terá que comprá-la ou recusá-la por escrito, explicando as razões pelas quais não assistirá à televisão. Caso contrário, receberá uma multa considerável. A tentativa de se recusar a pagar, mas assistir aos programas de televisão ilegalmente não funcionará: há uma divisão especial, a de Fiscalização (uma van deste serviço se vê na foto), que pode aparecer em sua casa sem aviso prévio e fazer uma inspeção.

5. Na Alemanha, há um imposto da igreja

Kirchensteuer é um imposto da igreja que é aplicado aos paroquianos de algumas comunidades religiosas na Alemanha. Estas incluem as igrejas evangélicas, o bispado católico romano, a sociedade religiosa unitária de protestantes livres e comunidades judaicas.

A quantia é estabelecida entre 8% e 9% do valor do imposto de renda. Por exemplo, se um paroquiano paga 10.000 euros por ano de imposto de renda, terá que pagar 800 euros para a igreja. Além disso, esse imposto também pode ser aplicado à venda de mercadorias ou dividendos.

Um contribuinte tem o direito de deixar a igreja e se recusar a pagar esse imposto, mas deve preencher um documento especial. Quem se recusa a pagar a taxa pode ser excomungado e impedido de trabalhar em algumas organizações da igreja, como escolas ou hospitais.

4. Na Austrália e no Brasil, uma multa deve ser paga por não se apresentar para votar

Enquanto algumas pessoas reclamam dos resultados das eleições e declaram que não mais participarão delas, outras simplesmente não podem se recusar a votar. Por exemplo, na Austrália, uma multa é aplicada por não aparecer nas eleições, embora não seja muito grande. Por exemplo, em 2010, na Tasmânia, cerca de 6 mil pessoas não compareceram para votar. Cada uma delas recebeu uma multa de 26 dólares.

No Brasil o voto também é obrigatório. Quem não votar deve justificar a ausência. Aqueles que não justificarem também pagam multa, como na Austrália. O valor varia entre R$ 1,05 e R$ 35,14.

3. No Canadá, o leite é vendido em recipientes transparentes

Os habitantes de vários países não se surpreenderão em ver o leite em um saquinho. No entanto, para a maioria dos habitantes do nosso planeta, o leite embalado desta forma é muito estranho, porque na maioria dos casos ele é vendido em garrafas de plástico ou em embalagens assépticas de papelão. De qualquer forma, um saquinho acaba sendo um recipiente bastante confortável, se, seguindo-se o método dos canadenses, for colocado em uma jarra.

2. Na Bolívia, há um grupo de mulheres lutadoras conhecidas como “las cholitas”

A ideia de recrutar mulheres chegou a Juan Mamani, o representante de “Los titanes del Ring”, que estava preocupado com a queda da arrecadação de 2001. Mamani publicou um anúncio no jornal sobre o recrutamento de mulheres para o seu grupo, e, para sua surpresa, muitas belezas locais, que queriam ganhar dinheiro com a ajuda de seus punhos, responderam ao chamado.

Ao contrário dos homens, estas mulheres não podem lutar com roupas confortáveis: devem usar suas roupas tradicionais, ou seja, saias exuberantes, blusas brilhantes, sapatos e chapéus. Além disso, entre as cholitas não há atletas profissionais, e muitas vezes elas têm que conciliar lutas no ringue com tarefas domésticas e outras obrigações.

1. No México e em alguns outros países, mães e avós têm uma “ferramenta educacional” chamada “la chancla”

A chancla é um tipo de calçado caracterizado por usar o salto solto — um chinelo, que mães e avós da América Latina e da Espanha usam para disciplinar crianças e adolescentes desobedientes. Em nossos tempos, na maioria dos países ocidentais esse método de “educação” é considerado violência infantil e, em nenhuma circunstância, o aprovamos.

Mas parece que no México, e em algumas outras regiões, a chancla continua sendo uma arma poderosa. Por exemplo, a avó da foto descobriu que sua neta tem um namorado, e a primeira coisa que fez foi tirar os chinelos. Ainda assim, as próprias crianças “educadas” com a ajuda da chancla fazem muitas piadas sobre esta questão e, aparentemente, não consideram que sua infância tenha sido traumática.


Responses

  1. […] Texto de Lobusdaestepe’s Weblog […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: